sábado, 1 de setembro de 2012

Mil e uma noites

No meio da noite, estico o braço em busca do teu corpo quente. 

Não o encontro. Acordo.

Olho para o lado da cama em que você deveria estar, mas não está. Acaricio o travesseiro, o mesmo que você costuma roubar de mim enquanto dormimos. Sorrio, mas logo deixo de sorrir, pois sei que esta noite o travesseiro não será roubado. 

Fecho os olhos. Espero o sono. 

Adormeço. Sozinha.
De novo.
Ship Anchor